Flamengo já desembolsou mais de R$ 17 milhões em multas para técnicos em menos de dois anos


Desde a saída de Jorge Jesus, no meio de 2020, quatro treinadores já passaram pelo Flamengo. Três desses tiveram seus vínculos rompidos precocemente e o Rubro-Negro precisou desembolsar uma quantia alta para o pagamento das multas rescisórias. De acordo com informações do jornalista Jorge Nicola, o clube carioca já desembolsou R$ 17,4 milhões ao liberar Dome, Rogério Ceni e Renato Gaúcho antes do fim do vínculo.

Paulo Sousa, comandante desde janeiro deste ano, também possui um valor de multa considerado alto caso saia com a pressão da crise no clube da Gávea. Caso, o Flamengo opte pela demissão do português esse valor poderá aumentar e chegar a R$ 32 milhões, segundo o jornalista
Domènec Torrent, ex-auxiliar de Guardiola, anunciado em julho de 2020 para substituir o português Jesus, teve 26 jogos pelo Flamengo, 15 vitórias, cinco empates e seis derrotas - um aproveitamento de 63,8%. Contudo, já que o vínculo firmado era de dois anos, o treinador catalão exigiu o pagamento de R$ 11 milhões e 400 mil reais, quantia que foi negociada ao decorrer de três meses e efetuada. 
Outro técnico que não aguentou a pressão apesar de ter comandado três títulos do Rubro-Negro (Brasileiro, Carioca e Supercopa do Brasil), Rogério Ceni também foi demitido. O ex-goleiro do São Paulo, que ficou a frente do time por 45 jogos, teve 23 vitórias, 11 empates e 11 derrotas, recebeu R$ 3 milhões de reais.
O valor obtido por Renato Gaúcho foi o mesmo de Ceni. O treinador foi comandante da equipe por quatro meses e teve 37 jogos em que somou 24 vitórias, oito empates e cinco derrotas. De acordo com o jornalista Jorge Nicola, caso o técnico Paulo Sousa, porventura, seja demitido, o Flamengo terá que tirar dos cofres a quantia equivalente a R$ 15 milhões.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem