Paulo Sousa diz que Flamengo merecia vencer e critica arbitragem: "Única equipe que esteve abaixo"


Flamengo e Palmeiras protagonizaram um jogo de alto nível no Maracanã, na noite desta quarta-feira, em partida adiantada da quarta rodada do Brasileirão. O desempenho agradou ao técnico Paulo Sousa, mas o empate sem gols não. O português defendeu que seu time merecia ter vencido pelo que apresentou durante os 90 minutos e mostrou insatisfação com a arbitragem.

- Por tudo aquilo que a equipe produziu, merecia outro resultado. As duas equipes estão de parabéns, cada uma com ideia de jogo distinto. Palmeiras tem uma disponibilidade física e mental sem a bola. Tem muita capacidade para contra-atacar. Merecemos por tudo aquilo que fizemos. A única equipe que esteve muito abaixo foi a equipe de arbitragem. Não esteve no mesmo nível das duas equipes - afirmou Paulo Sousa em coletiva após a partida.

A evolução foi outro ponto comentado pelo treinador, que já havia sido elogiado pela atuação do time no último domingo, na vitória por 3 a 1 sobre o São Paulo. Paulo Sousa vê o Flamengo no caminho certo.

- Estamos cada vez mais consistentes. É nesse caminho que devemos estar. Oferecemos qualidade de jogo a uma equipe que está feita e convencida das ideias do seu treinador. Termos a qualidade que tivemos hoje mostra que estamos no caminho certo.


O Flamengo volta a campo no próximo sábado, às 16h30, para enfrentar o Athletico-PR, na Arena da Baixada, pela terceira rodada do Brasileirão.


Outras declarações de Paulo Sousa:


Controle do Flamengo


- Sempre que quiseram jogar mais curto ou entrelinhas não conseguiram. Acho que a equipe reduziu bem os espaços, controlou todas as possibilidades. A única coisa que conseguira, todas as vezes que subíamos, eles procuravam os passes bem nas costas, dentro da velocidade, para poderem chegar bem perto do nosso gol e, a partir daí, em algumas circunstâncias dar dois ou três passes seguidos com a equipe alta. É um jogo que sabíamos que seria assim. A equipe estava concentrada, com boa distância nas nossas linhas. Merecíamos mais pelo que fizemos. Um primeiro tempo extraordinário, um segundo tempo de mais controle, com uma intensidade mais baixa em certos momentos. A única coisa que não aconteceu foi mesmo o gol, mas merecíamos ter vencido.

Mais sobre a arbitragem

- Sou uma pessoa muito passional e tenho uma leitura de jogo diferente. Não cabe a mim analisar. Desde os momentos mais capitais dessa temporada, na Supercopa e nos dois jogos da final, acho que está muito evidente o que está acontecendo. Não me parece que o treinador tem que expor a arbitragem. Não esteve ao mesmo nível do Flamengo e do Palmeiras. Eu gosto de ver todas as três equipes no mesmo nível para poder melhorar o futebol. Por isso cabe à nossa instituição Flamengo trabalhar e expor porque realmente nesses três momentos de jogos importantes. Não queremos benefício nenhum. Queremos ter uma boa qualidade e mais uma vez a arbitragem não esteve à altura das equipes.

Por que Santos não começou o jogo? Pensa em ter o Hugo como goleiro do Brasileiro e o Santos como goleiros de copas?

- O Santos chegou e há um processo de crescimento do Hugo. Se o Santos tivesse chegado inicialmente, nossas decisões provavelmente seriam diferentes. Independentemente do momento de forma deles. Para já, vamos dar continuidade ao crescimento do Hugo. Hoje fez uma atuação extraordinária, tem melhorado no jogo com os pés e na tomada de decisões. Esteve concentrado o tempo todo. A pressão às vezes existe por tudo que tem vindo a se falar e a se escrever. Hugo está muito ligado em mentalidade e tem muito a crescer. Nós decidimos exatamente com eles. Definimos o que queríamos. Não é algo que vai se manter a temporada toda.

Teve papo com Pedro?

- Tivemos várias conversas, mas não tivemos conversas em relação à minutagem. A disponibilidade do Pedro tem que ser a mesma da equipe. Eles têm que estar prontos para vencer.

Sinergia com a torcida

- A sinergia é constante, tem que ser constante. No Flamengo, quando se ganha estamos no céu, quando se perde estamos no inferno. Como eu disse na última coletiva, eles têm que se sentir representados em campo. Podemos ter uma menor performance a nível técnico, mas em entrega eles têm que nos reconhecer. Dar tudo para ganhar. Hoje merecemos ganhar, não aconteceu, vamos continuar para sermos mais consistentes.


Willian Arão

- Ele tem sido fundamental e rompido linhas com passes importantes. Deveria ter corrigido em alguns momentos, melhorou muito no segundo tempo. Com a velocidade que têm as primeiras linhas de pressão do Palmeiras, o seu posicionamento deveria ter sido melhor para ter a capacidade de orientar o jogo para a frente e sair da pressão. No segundo tempo corrigiu, deu profundidade e verticalidade ao nosso jogo. Conto com ele como volante e como zagueiro.

Entrada de Marinho: ele cumpriu o que você queria taticamente?

- Marinho sobretudo tem disponibilidade e compromisso. E todos os jogadores devem ter. Compromisso com a camisa do Flamengo. Importante é o compromisso. Depois pouco a pouco ele vai entender outros detalhes. Em momentos do jogo, a ansiedade que a equipe tem nesse determinado momento. Hoje mais uma vez aconteceu com a equipe.

Thiago Maia em evolução

- Encontrei mais um jogador que tem vindo a crescer, que nos dá soluções com a bola. Tem capacidade para melhorar em termos posicionais e no entendimento entre ele e João. A lateralidade entre eles dois. A necessidade que a equipe tem não só nesse primeiro momento de construção e também para ver o jogo de frente. Pode melhorar ainda demais em termos de duelo. Tem essa capacidade para pode fazê-lo. E pode melhorar no último terço porque tem a capacidade de enxergar mais e dar passes de maior profundidade. São posições de grande destaque. E precisamos de todos disponíveis com a mesma qualidade para termos boa performance e resultados.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem