O Flamengo publicou neste domingo o seu primeiro balancete trimestral de 2022 com um resultado negativo. Após fechar 2021 com mais de R$ 1 bilhão de receita bruta e superávit, os primeiros três meses deste ano somaram R$ 63,6 milhões de déficit. De acordo com a carta de abertura da demonstração financeira do clube, o resultado se deu por ser um período em que o clube "historicamente uma menor entrada de receitas", mas que o prejuízo já estava previsto no orçamento para a temporada.


Outro ponto positivo no balancete é a receita de dia de jogo, que inclui venda de ingressos e receitas geradas no estádio, o que também atenuou o prejuízo no período. Esse item, possivelmente o mais afetado com a pandemia, atingiu R$ 23,4 milhões, com boa presença de público no Maracanã.

O diretor financeiro do Flamengo, Fernando Góes, explicou ao ge que o resultado é normal já que são meses em que o clube recebe muito pouco mas precisa manter as operações normais. A receita de venda de atletas com o Michael somou R$ 59 milhões no trimestre. Segundo o relatório, "superou a expectativa".

- Esse ano, primeiro trimestre só teve Campeonato Carioca. Ou sejam três meses, com custo normal, mas como receita mesmo, de jogo, só o Carioca. O que ajudou foi que as vendas da bilheteria foram boas, o retorno do público foi muito bom, então é um negócio previsível. O que ajuda a amenizar são coisas pontuais como a venda de jogadores. O sócio-torcedor também estamos chegando quase a 70 mil novamente. No orçamento, já estava previsto - disse o diretor.

O relatório financeiro traz explicação semelhante neste trecho: "Já no 1T/2022, apresentamos um déficit de R$ 63,6 milhões, o que poderia preocupar numa primeira visão, mas que está previsto no orçamento do Clube pois, como já mencionamos no início deste relatório, é justamente aquele período do ano em que temos historicamente uma menor entrada de receitas, sem os principais campeonatos da temporada, mas no qual se mantem os compromissos com fornecedores, folha de pagamento de atletas e funcionários e impostos. Vale lembrar novamente que o resultado do primeiro trimestre do ano passado foi afetado artificialmente pelo encerramento do Campeonato Brasileiro de 2020, o que mudou significativamente a estrutura de receitas e custos dos primeiros meses, tornando assim ineficaz a comparação destes dois trimestres".

O clube afirma na demonstração financeira que, apesar do resultado negativo nos três primeiros meses de 2022, tem caixa para realizar suas operações com segurança. Em trecho do relatório, o Flamengo registra R$ 98 milhões na conta: "Terminamos o 1T/2022 com R$ 98 milhões entre dinheiro na conta corrente e aplicações em renda fixa facilmente convertíveis em dinheiro. Esse valor representa um montante bastante seguro para manter as operações saudáveis nos próximos meses, descartando a necessidade de incremento do endividamento financeiro".

Diretor explica proteção contra variações no câmbio

O Flamengo destaca ainda no documento que boa parte desse montante disponível está protegido de eventuais variações bruscas no câmbio: "Outro ponto que vale destacar é que mantemos um alto percentual (58%) desse valor protegido de variações cambiais, diretamente em moeda estrangeira ou via instrumentos de hedge".

O diretor financeiro do clube explicou a estratégia:

- O que gente faz é segurar o que recebe em euro, não converte. Fazer a projeção desse fluxo ao longo do tempo para que o pagamento se case com as receitas ou fique bem próximo. Deixando o clube exposto o mínimo possível. Quando a gente tem alguma conta a pagar por exemplo em julho, de milhões de euros, é importante que antes da data que ela vai vencer a gente já tenha esse dinheiro na tesouraria. É o que a gente chama de ficar a descoberto, que é ter 2 milhões de euros a pagar e só ter reais no bolso. Como vai adivinhar o valor três meses depois? As projeções dos bancos previam para esse ano um euro de R$ 6.8, e hoje o euro está R$ 5,2. Agora, me diz quanto vai estar em julho...


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

mgid

mgid