anúncio


Após a vitória sobre a
 Universidad Católica,
 no Maracanã, Paulo Sousa foi questionado sobre a ausência de Diego Alves e explicou que, pelo fato do goleiro não ter treinado com o grupo desde o jogo contra o Botafogo, em 8 de maio, o mesmo não poderia ser relacionado para a partida do Flamengo, mesmo colocando-se à disposição. "Os processos aqui não são assim", resumiu o treinador.

'Aqui os processos não são assim, os jogadores para jogar têm que treinar. E ele não treinou nenhum dia desde o jogo contra o Botafogo, por isso não podia estar relacionado' - afirmou o técnico no Maraca.

De acordo com o Flamengo, Diego Alves está tratando de uma pubalgia desde o dia 10 de maio. O goleiro, portanto, ficou de fora da viagem para Fortaleza, onde o time empatou em 2 a 2 com o Ceará no último sábado. De acordo com Paulo Sousa, Diego se apresentou "melhorzinho" apenas na segunda-feira de tarde, mas, após ter uma reunião com Bruno Spindel, disse estar pronto para voltar a atuar.

Confira, abaixo, toda a explicação dada pelo técnico Paulo Sousa:

- O Diego, no jogo contra o Botafogo, fez o aquecimento e, no dia seguinte, sentiu dores no púbis um pouco dispersas, foi quando o departamento fez uma ressonância. Temos que confiar no gráfico, mas também temos que ouvir o jogador.

- Todo dia um colaborador meu falar com todos os jogadores para ter sensações, saber o nível de dores, se dormiu bem ou mal para ajustarmos o tipo de trabalho e ações.

- Ontem (segunda) de manhã ele continuava a ter dores. À tarde, disse ao fisioterapeuta que estava melhorzinho, que se sentia capaz para poder treinar. Se verificarem o que são dores no púbis e o tempo de recuperação, verão que não é de um dia para outro. Ou por uma reunião que teve com o Bruno Spindel. Para jogar, tem que estar treinando. Os processos são esses. Por isso, não poderia estar relacionado.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

Anúncio tt