O Flamengo estreou na Libertadores com uma vitória por 2 a 0 sobre o Sporting Cristal, no Peru, nesta terça-feira. O time não teve um bom desempenho, mas cumpriu sua missão e retorna ao Brasil com um pouco mais de tranquilidade após a pressão ocasionada pela perda do Carioca. Paulo Sousa ficou satisfeito com o resultado.

O comandante português foi perguntado sobre o clima de instabilidade no grupo antes da partida, e disse que os jogadores responderam bem ao plano que foi traçado para enfrentar os peruanos.

- Todos somos Flamengo, todos somos uma família. Quanto mais unidos e entrosado estivermos, mais vitórias vamos conquistar. A única forma de lidarmos com qualquer tipo de problema é estarmos focados no que controlamos. Hoje tínhamos que tomar decisões antes desse jogo. Estivemos focados para esse jogo. Penso que a equipe respondeu bem, foi intensa e conquistou o que pretendíamos nesse jogo: ganhar com gols e não sofrer. Hoje era um dia de consistência no jogo com vista aos resultados. Queríamos prestigiar a competição com uma vitória. Era um time que dava essa possibilidade de profundidade. O time fez tudo aquilo que estava previsto para fazer de forma consistente para sair daqui vencedor - disse o treinador.

O Flamengo chega ao Rio na manhã desta quarta-feira. Sábado, às 19h, o time estreia no Brasileiro, contra o Atlético-GO, fora de casa.

Dificuldades de relacionamento com o elenco?

- Estou focadíssimo em alinhar todos nós naquilo que é o nosso trajeto, que é procurar ganhar todos os jogos com o máximo de qualidade e empenho para podermos chegar às vitórias. Sou muito focado no dia a dia. Numa equipe de trabalho, se tem muitas pessoas. Muitas personalidades, e nós com certeza estamos muito alinhados e muito focados em ganhar jogos.


Gabigol pouco acionado

- Acho que nós em todos os jogos com o Fluminense tivemos boas oportunidades e tivemos mais oportunidades claras do que o Fluminense para sairmos vencedores. Não tem que chegar só ao Gabi. E toda sua movimentação requer alguma profundidade que nosso último adversário no Carioca procurou não nos dar, mas mesmo assim ele fez um gol. Num ataque rápido. A grande característica que o Gabi tem, que é sair da linha defensiva e procurar o timing certo para procurar jogadores e atacar a linha. Isso acaba por não acontecer. Quando o nosso bloco defensivo baixou, pudemos ter algumas oportunidades com ele.

Sempre que jogamos vertical com ele, é algo que tem que ser melhorado entre os meias e ele. Dar timing ao jogo e depois atacar a profundidade. Ou seja, tirar jogadores da marcação para atacar a profundidade. Os adversários foram completamente diferente dos de hoje. Fechavam profundidade, e aí retirou muita capacidade do Gabi, que precisava de profundidadea -nalisou o técnico.

"Era o dia da consistência"

- Hoje era o dia de consistência no nosso jogo com vistas ao resultado, iniciar bem esta competição bem prestigiada. E queríamos prestigiá-la exatamente com uma vitória. Daí a consistência, intensidade, procurar ter um elemento importante como foi o Andreas numa linha mais alta de pressão para podermos a partir daí através dessa mesma pressão podemos ter os nossos espaços de forma a podermos ter ataques mais rápidos, atacar bem os espaços de profundidade. Porque era uma equipe que dava essa mesma possibilidade de profundidade. Penso que a equipe fez tudo aquilo que estava previsto para fazer de forma consistente para poder sair daqui vencedora.



1 Comentários

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Anúncio