O Flamengo contou com noite inspirada de Gabigol, que marcou dois gols, para bater a Universidad Católica, por 3 a 2, na noite desta quinta (28), no Chile. Lázaro completou o placar. Os chilenos descontaram com gols contra de Isla e Pablo.

O resultado manteve o rubro-negro na liderança do Grupo H com 100% de aproveitamento na Libertadores. Os chilenos estão na terceira posição com três pontos.

Quem foi bem: Gabigol

O atacante voltou a brilhar com a camisa rubro-negra na Libertadores. Autor de dois gols na partida, Gabi buscou o jogo e, além dos gols, contribuiu com o coletivo na criação de jogadas e no apoio defensivo. Vale citar também a boa partida de Bruno Henrique, que voltou de lesão e deu duas assistências para os gols do seu parceiro de ataque, despertando as melhores memórias na torcida flamenguista.

Quem foi mal: João Gomes

O jogador, que costuma ditar o ritmo do jogo e dominar o meio-campo, não fez boa partida no Chile. Incapaz de ajudar na saída de bola, também não conseguiu ser tão presente no campo de ataque. Foi sacado pelo treinador Paulo Sousa ainda no intervalo.

O jogo do Flamengo:

A equipe carioca teve uma atuação pragmática no Chile. A equipe deu a bola para o adversário e buscou as transições rápidas para incomodar os donos da casa e o resultado deu certo. No primeiro tempo, em duas escapadas o Fla marcou e poderia ter feito ainda mais. Na segunda etapa, o rubro-negro sofreu um pouco mais, mas conseguiu marcar mais um gol e sacramentar mais uma vitória na Copa Libertadores.


O jogo da Católica: faltou criatividade e pontaria

A equipe chilena teve mais posse de bola e incomodou o Flamengo, mas faltou aquele algo a mais. Com a bola, na maior parte do tempo, pareceu sem saber o que fazer no campo de ataque. Quando a equipe avançava, por cruzamentos ou finalizações a média distância, faltava pontaria.


26 vezes Gabigol

Os dois gols anotados pelo atacante fizeram com que ele chegasse aos 26 anotados na história da Libertadores, passando Fred e Palhinha (25) e se consolidando como 2º brasileiro com mais gols na história da competição. Luizão, com 29 gols, lidera a lista.


Hoje teve!

O jogo começou disputado com as equipes se estudando e buscando se impor ofensivamente. Contudo, foi o Flamengo que conseguiu criar perigo pela primeira vez e foi certeiro. Bruno Henrique recebeu bola na ponta esquerda do ataque e partiu para cima dos adversários. O camisa 27 lançou Gabigol que bateu de perna esquerda, de primeira, para abrir o placar.


Católica pressiona e busca o empate.

O time chileno não se impactou ao sofrer o gol. Precisando da vitória para não se distanciar da zona de classificação do grupo, a Unversidad Católica trocou passes no campo de ataque e buscou o empate. Orellana recebeu bola dentro da área e achou Zampedri entre os zagueiros do Fla. O atacante dividiu com Isla, que tocou para o fundo das redes.


Grama traiçoeira

O gramado do estádio San Carlos de Apoquindo estava bem escorregadio. Por diversas vezes, os jogadores dos dois times escorregaram e perderam a bola. No lance mais emblemático, Willian Arão tentou cortar um cruzamento rasteiro, mas escorregou. Zampedri teve a bola livre no meio da área e de frente ao gol, mas perdeu a chance.

Católica com a bola, mas quem marcou foi o Fla

Flamengo e Católica fizeram um jogo franco ao longo do primeiro tempo. Os anfitriões tentaram dominar um pouco mais das ações ofensivas, mas faltava criatividade. O Flamengo, na ausência da participação de Thiago Maia e João Gomes, buscava mais a ligação direta e os contra-ataques.

Novamente Bruno Henrique avançou pela esquerda, que teve liberdade para invadir a área e cruzar rasteiro para o meio da área. A bola encontrou Gabigol, que marcou pela segunda vez na partida.


Flamengo leva susto no fim da primeira etapa

O segundo gol rubro-negro esfriou um pouco o jogo. O Flamengo conseguiu se defender melhor, mas em uma chegada, a Unversidad Católica assustou. Orellana serviu Cuevas, que entrou na área e bateu forte, cruzado. A bola passou muito perto do gol defendido por Santos, mas foi para fora.

Torcida empurra, mas Católica não engrena

O Flamengo começou a segunda etapa administrando a vantagem que tinha. A torcida chilena acordou para partida e começou a fazer mais barulho, tentando pilhar a equipe da casa. Contudo, a Católica chegava apenas em cruzamentos. A meta do goleiro Santos foi pouco incomodada.

No contra-ataque, a equipe carioca incomodava muito mais. Em dois lances consecutivos, Bruno Henrique e Gabigol perderam chances de ampliar o placar.

No apagar das luzes, dois gols

Com a proposta de sair no contra-ataque, o Flamengo conseguiu marcar assim o último gol da partida. Após roubar bola no campo de ataque, Marinho carregou a bola e serviu Lázaro. O garoto bateu firme, no ângulo, para dar números finais a partida.

No abafa, a Católica tentou de todas as formas chegar ao gol. Num bate rebate, Buonanote finalizou e a bola desviou em Pablo, matando Santos na jogada e marcando o segundo gol no Chile.

FICHA TÉCNICA


UNIVERSIDAD CATÓLICA 2 x 3 FLAMENGO

Data: 28 de abril de 2022, quinta-feira
Horário: 19h (de Brasília)
Competição: Copa Libertadores - Terceira rodada do Grupo H
Local: San Carlos de Apoquindo, em Santiago (CHI)
Árbitro: José Argote (VEN)
Assistentes: Carlos López (VEN) e Tulio Moreno (VEN)
Cartões Amarelos: Leva, Galani, Ballestreros (CAT); Willian Arão, Marinho (FLA)
Cartão Vermelho: Gutiérrez (CAT)

Gols: Gabigol, aos oito minutos; Isla (contra), aos 16 minutos, e Gabigol, aos 35 minutos do primeiro tempo; Lázaro, aos 39 minutos, e Pablo (contra), aos 49 minutos do segundo tempo.

UNIVERSIDAD CATÓLICA: Pérez; Fuenzalida, Asta-Buruaga, Parot e Cuevas (Valencia); Leiva (Savedra), Galani, Rebolledo, Gutiérrez (Buonanotte) e Orellana; Zampedri. Técnico: Rodrigo Valenzuela.

FLAMENGO: Santos; Isla, Willian Arão, Pablo, Filipe Luís; João Gomes (Andreas), Thiago Maia, Éverton Ribeiro (Marinho), De Arrascaeta (Diego); Bruno Henrique (Lázaro) e Gabigol (Pedro). Técnico: Paulo Sousa.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

Anúncio