Paulo Sousa explica 'treta' com Gabigol durante final do Carioca e é curto e grosso ao falar da situação de Diego Alves no Flamengo



Após o empate por 1 a 1 com o Fluminense, que resultou no vice-campeonato do Carioca, o técnico do FlamengoPaulo Sousa, falou abertamente sobre a "treta" que teve com o atacante Gabigol durante a partida.

Logo após o camisa 9 anotar o gol rubro-negro na partida, ele e o comandante português tiveram um desentendimento e trocaram palavras fortes à beira do campo, gesticulando muito um para o outro.

Na coletiva, Sousa explicou que estava fazendo correções de posicionamento a Gabriel, colocando panos quentes na situação.

"A liderança é algo que vai se fazendo. Eu sou uma pessoa do bem, como treinador e como pessoa. Procuro lidar com o máximo de respeito com os outros, por mim mesmo e pelo meu trabalho. Procuro sempre ser o mais educado possível com todos, com vocês (jornalistas) também. É uma coisa da vida", afirmou.

"E procuro usar também o futebol para poder educar, olhando para mim primeiro, me auto-educar, e isso tem a ver com meu trabalho inteiro, para poder direcionar com vitória ou com derrota da mesma forma", seguiu.

"Aquilo que aconteceu com o Gabi foi natural, algo de calor do jogo. É um rapaz que tem sempre a missão de ganhar. É muito difícil se comunicar com os jogadores, pois o público faz barulho, está sempre muito presente, e ele tem que entender que, inicialmente, fez o que eu pedi com mais consistência. Naquele preciso momento (da confusão), durante alguns minutos o posicionamento dele não era o mais correto", explicou.



"Mas lembrando que tanto ele como qualquer um, seja comigo ou minha comissão, qualquer colega, é algo que procuramos educar, pois é algo que temos que ter uma comunicação positiva", complementou.

Paulo Sousa também foi curto e grosso ao ser questionado sobre a situação do goleiro Diego Alves nos bastidores flamenguistas.

O treinador negou que tenha se desentendido com o veterano multicampeão, que se tornará apenas a 3ª opção para a meta (atrás de Hugo Souza e do recém-contratado Santos), mas salientou que, se houver algum problema, irá resolver tudo de maneira interna.

"Não houve nenhum conflito (com Diego Alves). E, no dia que existir qualquer coisa com quem quer que seja, seja o Diego ou outro jogador, tem um processo disciplinar, e se um jogador não estiver com a gente é porque não merece", bradou.

"Como eu disse, eu procuro ser o mais coerente possível nas minhas tomadas de decisões, de uma forma educada e respeitosa com todos, porque é minha forma de estar na vida", encerrou.


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem