anúncio


Um Flamengo com mais sorte do que juízo
, mas, ainda assim, com muitos motivos para comemorar na noite de domingo no Maracanã.

Se ainda esteve longe do futebol que empolgue o torcedor, o time de Paulo Sousa ao menos se mostrou mais competitivo, venceu pela quarta vez seguida e colocou um ponto final no jejum de cinco partidas contra o Fluminense. Tudo isso graças a Andreas Pereira e Hugo, que tiveram momentos de redenção com atuações decisivas no clássico.

A individualidade entrou em ação com alto índice de protagonismo para salvar um Flamengo que viveu de espasmos coletivos - principalmente na criação de jogadas. O Fluminense foi melhor em grande parte dos 90 minutos e tinha o jogo controlado com exceção das brechas no lado esquerdo da defesa. E foi por ali que os rubro-negros acordaram a partir da metade do primeiro tempo.

Andreas Pereira e Éverton Ribeiro aproveitavam qualquer oportunidade para conectar Matheuzinho em profundidade. Deu certo e a partida ficou equilibrada quando Cano já tinha colocado 1 a 0 no placar. Pela direita, o Flamengo ganhava espaço e foi por ali que o lateral cruzou rasteiro para trás e encontrou Andreas para chute no canto de Fábio já aos 33 - um minuto depois de Ribeiro dar a primeira finalização do time.

Foi o período em que o Flamengo ditou as ações do jogo até o gol da virada de Gabriel, aos 11 do segundo tempo. Em sua melhor partida na temporada, Andreas organizava e verticalizava as jogadas da equipe e foi assim que tabelou e serviu o camisa 9 para a virada. Parecia que o Rubro-Negro tinha a partida sob controle. Só parecia.

A vantagem fez com que o Flamengo colocasse o pé no freio, baixasse as linhas e abdicasse de atacar. Os 24% de posse de bola com apenas duas finalizações no segundo tempo ajudam a explicar as razões de Hugo ter chamado para si os holofotes na reta final da partida.

Segundo tempo do Fla x Flu

  • Posse de bola: Fluminense 76% x 24% Flamengo

  • Finalizações: Fluminense 12 x 2 Flamengo

  • Finalizações no gol: Fluminense 4 x 1 Flamengo

  • Escanteios: Fluminense 9 x 0 Flamengo

  • Passes: Fluminense 333 x 107 FFlamengo

A partir da entrada de Pedro na vaga de Arrascaeta, aos 22, o Flamengo viu o Fluminense ganhar campo e achar espaços na busca pelo empate. Foram quase 30 minutos de pressão sem sequer aproveitar o campo para encaixar contra-ataques. O jogo ficou concentrado no ataque tricolor.

Melhor para o Flamengo que Hugo estava em noite inspirada para transformar as vaias em aplausos e garantir a vitória. A quarta consecutiva, mas ainda com um roteiro que satisfaz pouco o torcedor.
Postagem Anterior Próxima Postagem

Anúncio tt