Paulo Sousa lamenta derrota do Flamengo e manda recado a Jorge Jesus: "Que tenha paz consigo"


Na coletiva de imprensa após a derrota por 1 a 0 para o Botafogo, neste domingo, Paulo Sousa, técnico do Flamengo
, comentou a atuação da equipe no Mané Garrincha, lamentou as oportunidades perdidas e mandou um recado para Jorge Jesus, ex-técnico do Fla cujas declarações conturbaram a última semana do clube.

Paulo Sousa explica Pablo e João Gomes no banco e fala sobre pressão da torcida por JJ

Descontente com a postura do seu conterrâneo, que disse ter o desejo de voltar a treinar o Flamengo e estabeleceu proposta até o dia 20 para receber proposta, Paulo Sousa respondeu o seguinte quando perguntado sobre o assunto:

- Em relação ao Jorge, é um treinador que eu respeito. Respeito a história no Flamengo, respeito a importância dessa história e respeito aquilo que o Jorge foi no Flamengo em 2019. Mas também temos que respeitar o Paulo Carpegiani, que ganhou o título mais importante da história do clube, que é o Mundial de Clubes. Por isso é essa a situação - disse o treinador do Fla.

"Eu só peço a Deus que abençoe a ele e a sua família. E que ele, muito sinceramente, tenha saúde, paz, sobretudo consigo mesmo. E sucesso", completou.

Sobre a ,, Paulo Sousa lamentou principalmente o fato de a equipe não ter conseguido converter em gols as várias chances criadas durante a partida.

- O volume de oportunidades foi avassalador, essa é a maior explicação. No pouco volume de transições ofensivas que o nosso adversário teve, conseguiu concretizar um gol. Nós tivemos várias oportunidades bem claras, um volume bastante grande. Tirando os primeiros 15 minutos, em que nos precipitamos e não tivemos o controle do jogo, a partir dos 15 organizamos bem, criamos nos corredores e na parte central. Criamos oportunidades, fizemos o gol, foi anulado. Sobretudo, explica-se dessa forma. Tivemos várias oportunidades bem claras para sair daqui com uma vitória - disse.

Paulo Sousa também respondeu sobre a quantidade de jogadores que o Flamengo tem no departamento médico.

- (Ficar) Irritado, não. Já disse publicamente: temos uma relação com o departamento médico muito boa, temos muita confiança no trabalho deles. Procuramos interagir todos os dias, perceber o que podemos fazer para melhorar e ter os jogadores sempre disponíveis. Não tendo, temos mais dificuldades e instabilidades no processo. Até porque, sem a possibilidade de trabalhar, como o Botafogo teve durante a semana, conceitos, estratégias e poder aliar a participação de alguns jogadores, torna-se um agravante. No entanto, estamos confiantes de que vamos melhorar esse detalhe. A grande maioria das lesões são articulares ou lesões que não são muito normais. Estamos tentando perceber de que forma podemos minimizar as lesões musculares - afirmou.

Veja a íntegra da coletiva:




Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem