CBF e empresa responsável admitem equívocos do VAR em lances de impedimento

Cassia Marinho

A tecnologia do VAR supostamente veio para acabar com erros e injustiça na marcação de impedimentos, que seriam uma decisão objetiva. Entretanto, a CBF e a empresa responsável pelo VAR no Brasil já admitiram em mais de uma ocasião erros graves na aplicação da linha de impedimento.

No jogo entre Athletico e Flamengo, disputado na quarta-feira (12), um desses erros parece ter ocorrido novamente. Os responsáveis pelo VAR traçaram a linha que determinou o impedimento de Gabigol no braço, em vez de seguir o critério correto, que seria o ombro.

Essa não é a primeira vez que a CBF e a Hawk-Eye, a empresa responsável pelo VAR no Brasil, reconhecem as limitações da tecnologia e os erros humanos na aplicação dos impedimentos. Vamos relembrar três casos em que isso aconteceu.

Em 2020, o então chefe da comissão de arbitragem da CBF, Leonardo Gaciba, admitiu um "equívoco humano na colocação da linha de impedimento" em um lance que anulou um gol de Luciano, do São Paulo, contra o Atlético-MG. Gaciba afirmou que a linha não foi colocada corretamente e que isso prejudicou a decisão.

continue lendo 

#buttons=(Aceitar!) #days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saiba mais
Accept !