Segredos Revelados? Polícia Analisa Vídeos no Caso Braz

Cassia Marinho
Lamentável incidente envolvendo o vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz, chocou a torcida rubro-negra nesta terça-feira (19). Uma agressão a um torcedor resultou em um tumulto inesperado, deixando versões conflitantes e a polícia investigando o caso minuciosamente.

O episódio ocorreu na joalheria do Barra Shopping, onde Marcos Braz estava acompanhado de seus funcionários particulares, buscando um presente para sua filha, que estava prestes a celebrar seu aniversário. Nesse ambiente, duas figuras que se autodenominavam membros da Torcida Jovem do Flamengo confrontaram Braz com críticas e cobranças. A situação, no entanto, foi controlada com a intervenção dos seguranças, e os torcedores se retiraram.

Porém, o que parecia ser o fim da tensão se transformou em uma verdadeira confusão quando Leandro Gonçalves Junior, um entregador do Ifood de apenas 22 anos, se aproximou. Ele teria externado seu desejo de ver o técnico Sampaoli fora do clube e dirigido insultos a Marcos Braz, incluindo a palavra "otário". A partir desse momento, a situação escalou rapidamente, e testemunhas alegam que Braz, acompanhado de seus seguranças, teria agredido o jovem torcedor.

Contrariando essa narrativa, a versão de Marcos Braz, compartilhada com o GE (Globo Esporte), difere significativamente. O dirigente do Flamengo afirmou ter sido ameaçado de morte e alegou que sua filha também foi alvo de agressões. Contudo, lojistas da joalheria afirmam que a filha de Braz não estava presente na loja no momento da confusão, lançando dúvidas sobre essa afirmação.

O desenrolar dos acontecimentos levou Marcos Braz a ser "retido" na joalheria até a chegada da Polícia Militar. Após sua escolta até a saída do Barra Shopping, ele se dirigiu à 16ª Delegacia de Polícia, acompanhado de sua equipe legal. Paralelamente, Leandro Gonçalves Junior também passou por um exame de corpo de delito e prestou seu depoimento à polícia. Surpreendentemente, ao sair da delegacia por volta das 22h, ele optou por não se pronunciar aos jornalistas presentes, seguindo as orientações de sua advogada.

A situação, longe de ser resolvida, agora está sob investigação da polícia. Segundo Renan Moura, jornalista da Rádio Globo, o delegado encarregado do caso planeja solicitar ao Barra Shopping as imagens das câmeras de segurança, buscando esclarecer os eventos que levaram a essa triste ocorrência. A incerteza persiste, enquanto o Flamengo e sua fervorosa torcida aguardam ansiosamente por respostas e uma resolução justa para esse incidente lamentável.

Esta notícia cobre os eventos em detalhes, destacando a complexidade do caso e as versões conflitantes apresentadas pelas partes envolvidas.

#buttons=(Aceitar!) #days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saiba mais
Accept !