Pronto!

O Flamengo voltou ao Maracanã e, com o time, a Nação também voltou, mais de 63 mil torcedores.

Azar do vice-lanterna Bangu que teve pela frente um rubro-negro com sede de mostrar à torcida que era ela que lhe faltava.

E logo foi enfiando 3 a 0 no primeiro tempo, com Don Arrascaeta, Gabigol e Léo Pereira, aos 9, 14 e 43 minutos, este último uma verdadeira linha de passe na área banguense, culminada com passe do uruguaio de cabeça ao receber a bola cavada por Thiago Maia.

De fato, o Maracanã e o Flamengo foram  um para o outro.

E Don Arrascaeta a cada jogo honra mais o número 14 do holandês Johan Cruijff ao jogar o fino da bola.

Pobre Bangu que não sabia do tamanho da saudade que havia entre time, torcida e Maraca que o levou a ser encarado como se fosse o Real Madrid.

Depois de se satisfazer com o que viu no primeiro tempo, Paulo Souza partiu para fazer as trocas a que tinha direito no segundo e botou Diego, Pedro, Isla e Marinho para jogar já nos primeiros 20 minutos.

Everton Ribeiro, João Gomes, Matheuzinho e Lázaro descansaram.

Thiago Maia também saiu para Matheus França que logo que entrou chutou de fora para fazer 4 a 0, em bola desviada na zaga, aos 29'.

O segundo tempo que havia caído muito, sofria uma promoção com o estabelecimento da goleada.

Que Léo Pereira fez questão de ampliar, em novo passe de Don Arrascaeta ao bater escanteio pela esquerda, para 5 a 0, aos 35'.

Dez minutos depois, Don Arrascaeta lançou Isla, o chileno de mal com a Nação cruzou e Gabigol fez 6 a 0, para consagrar o três vira e seis acaba.

Estava consolidada a nova lua de mel entre a Nação e o Mengão, para emocionar o coração lusitano de Paulo Souza.

E sob um tapete verde que, enfim, veio para ficar.

Só Pedro pareceu estar em outra rotação.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

mgid